Na definição da Gartner, maior empresa global de pesquisa em tecnologia, Plataforma como Serviço (Platform as a Service – PaaS) é uma ampla coleção de serviços de infraestrutura de aplicativos (middleware), incluindo plataforma de aplicativos, integração, gerenciamento de processos de negócios e serviços de banco de dados.

Dizendo de uma maneira ainda mais prática, PaaS é um modelo de computação em nuvem no qual um provedor fornece ferramentas de hardware e software – geralmente aquelas necessárias para o desenvolvimento de aplicativos – para os usuários via internet.

Tecnicamente falando, o fornecedor de plataforma como serviço hospeda hardware e software em sua própria infraestrutura. Como resultado, a PaaS liberta os usuários de ter que realizar instalações internas para desenvolver ou executar aplicações.

Plataforma como Serviço (PaaS) já se consolidou nas rotinas de desenvolvimento de software

O movimento em torno das plataformas como serviço é tão grande a Gartner estima que, até o final de 2018, elas serão responsáveis por movimentar 10,6 milhões de dólares somente em nuvem pública ao redor do mundo. Para 2020, a empresa de pesquisa prevê que este mercado chegue a mais de 14,7 milhões de dólares.

A McKinsey também tem excelente previsão para o mercado PaaS. A consultoria estima que 20% dos líderes de empresas de médio e grande porte em todo o mundo devem migrar seus projetos de desenvolvimento para o modelo PaaS nos próximos anos.

Portanto, assim como os demais serviços baseado em computação em nuvem (cloud computing), PaaS já deixou de ser simplesmente uma tendência para se consolidar como um modelo definitivo de fornecimento de recursos para desenvolvimento de aplicações.

Benefícios de contar com uma Plataforma como Serviço (PaaS)

Uma solução PaaS oferece servidores e armazenamento necessários para criar, testar e implantar aplicativos. As estruturas de aplicativos e as bibliotecas de desenvolvimento também são freqüentemente fornecidas como parte da solução PaaS.

Aqui estão os principais benefícios deste modelo para os desenvolvedores e para as empresas em geral:

  • os desenvolvedores de software podem tirar proveito de uma solução PaaS para criar aplicações que planejam oferecer pela internet sem a necessidade de adquirir diversas ferramentas;
  • os desenvolvedores web  podem usar ambientes PaaS individuais em todas as etapas do processo para desenvolver, testar e hospedar seus sites;
  • as empresas podem desenvolver seu próprio software interno, especialmente para criar diferentes ambientes de desenvolvimento e testes.

Confira, a seguir, as vantagens práticas que as empresas obtém ao adotar o modelo PaaS em seus processos de desenvolvimento:

  • possibilita começar projetos imediatamente: os recursos são virtualizados, estão sempre disponíveis;
  • proporciona padronização de processos: ao invés de recomeçar do zero em cada projeto, os recursos padronizados facilitam manter rotinas e técnicas;
  • ajuda os profissionais a focarem no desenvolvimento: não há preocupações com infraestrutura, entre outras, pois está tudo pronto, seguro e fácil de utilizar;
  • potencializa a produtividade: o rendimento e a performance do time de desenvolvimento são garantidos, uma vez que não faltam recursos;
  • facilita a escalabilidade: se o projeto aumentar de tamanho, não é preciso se preocupar com a infra; ela pode ser facilmente escalada;
  • mais controle de custos — e ajuda a reduzi-los: paga-se pelo utilizado, ou por recursos previamente selecionados.   

Que tal, o que você achou da nossa explicação sobre plataforma como serviço (PaaS)? Você já conta com este modelo de desenvolvimento de software? Deixe seu comentário!